Quem é Maria l O Rosário l Aparições l Novenas l Orações l Devoção do Mês l Artigos l Imagens l Links l Home

 

Artigos
_______________________________________________________________
A Santíssima Trindade e Maria

 

Mãe de Deus Filho

A relação fundamental da Maria com respeito a seu Filho Jesus é a de sua Maternidade. Encontramos a fórmula venerada do Concílio de Éfeso, definida no ano 431: Maria é Mãe de Deus (Theotokos), como não duvidaram os Santos Padres em chamá-la. Assim a invocavam os fiéis já antes desse Concílio, no sigo IV e possivelmente no III. Em um papiro chegaram até nós as palavras da mais antiga oração Mariana que se rezou na Igreja, e que contém o título de Mãe de Deus aplicado a Maria: Sob sua misericórdia nos refugiamos, Oh Mãe de Deus! Não despreze nossas súplicas na necessidade, mas sim livra-nos do perigo, apenas pura, apenas bendita. A oração é muito significativa. Pela relação de Mãe que Maria tem com Jesus, compreende-se a singular eficácia de sua intercessão. A isto se deve que os fiéis, já nos primeiros séculos, fossem a Ela confidencialmente em sua necessidade e indigência.

Mas, inclusive antes de fixar a atenção na importância intercessora que se deriva de que Maria é Mãe de Deus, conviria sublinhar o relevo teológico de primeiro plano que o título encerra. Frente a Nestorio, são Cirilo de Alexandria e o Concílio de Éfeso compreenderam que o que estava em jogo era o dogma fundamental do cristianismo: que Jesus é Pessoa divina; que não há nele a não ser um único sujeito último de responsabilidade, que é a Pessoa do Logos. Isso permite dizer com verdade que Deus (e não só um homem) por nós padeceu, foi crucificado e inclusive sofreu a morte. É impressionante que para garantir esta verdade se recorresse a um título Mariano: a Santíssima Virgem é a Mãe de Deus.

Finalmente convém não esquecer que a Maternidade da Maria com respeito ao Filho de Deus associa sua existência a de seu Filho. Ela é a Mãe santíssima de Deus, que tomou parte nos mistérios de Cristo. Ela é a Nova Eva associada a Cristo, o Novo Adão, segundo uma temática que começou a desenvolver-se na Igreja a partir do século II. Se a primeira Eva dialogou com o demônio, desobedeceu a Deus e trouxe sobre o mundo morte e ruína, Maria, a Nova Eva, dialoga com o Anjo, obedece a Deus e traz para o mundo ao Salvador e, com Ele, a salvação.


Fonte: http://www.acidigital.com/Maria/santamaria/trindade.htm

 

 

®2005 - Todos os direitos reservados l Desenvolvido por Karina Melo